No capítulo XIX, intitulado “Precioso Entendimento”, após ter dirigido a palavra a todos os espíritos presentes no ambiente em que, com o concurso mediúnico de Gúbio, se materializara, Matilde solicita a Elói que traga Margarida à sua presença – a esposa de Gabriel repousava, convalescendo daquele terrível processo obsessivo que chegava ao fim.

 

Margarida, em desdobramento, se reconheceu na presença de Matilde, que lhe fora mãe em pregressas existências.

 

André registra que:

 

– A protetora, interessada em despertar-lhe alguns centros importantes da vida mental começou a aplicar-lhe passes ao longo do cérebro, operações que não pude compreender tão bem quanto desejava. Reparei, contudo, que Matilde lhe aplicava recursos magnéticos sobre os condutores nervosos do órgão de manifestação do pensamento…

 

A operação magnética efetuada por Matilde objetivava possível e relativo despertar de Margarida, mergulhada no esquecimento do passado – embora não lhe ensejando recordações detalhadas de experiências pretéritas, possibilitava que, em Matilde, a vítima de Gregório identificasse aquela que lhe fora mãe noutras vidas.

 

Margarida, diante de espírito de tamanha elevação, ali materializado, começa, então, e listar inúmeras queixas, falando-lhe de suas frustrações.

 

Escreve ao autor espiritual de “Libertação”:

 

– A veneranda emissária enxugou-lhe o pranto e falou, bondosa:

 

– Margarida, viver no corpo terrestre, entendendo os deveres divinos que nos cabem, não é tão fácil, ante a glória infinita que em companhia dele podemos recolher. Todos possuíram culposo pretérito a redimir. É imperioso reconhecer, todavia, que, se a experiência humana pode ser doloroso curso de renunciação pessoal, é também abençoada escola em que o espírito de boa vontade pode alcançar culminâncias.

 

Sim, quando no corpo físico, costumamos nos queixar das lutas enfrentadas, esquecendo-nos, contudo, em nosso passado recente, dos grandes erros cometidos.

 

Não fosse pela ação da Misericórdia Divina, raros seriam os espíritos que, sobre a Terra, conseguiriam manter-se de pé – a consciência de nossas culpas, sem dúvida, nos esmagaria e nos inviabilizaria qualquer esforço de redenção.

✉ Fique Atualizado!



Rádio On-line Vivência Espírita

 

Depois de fortalecer Margarida com palavras belas e encorajadoras, Matilde, para a surpresa de todos, menos, certamente, de Gúbio, comunica-lhe que, em breve tempo, voltaria a Terra – e, então, seria filha daquela que lhe era filha tão amada!…

 

Eis como a esposa de Gabriel reage à notícia da próxima reencarnação de Matilde:

 

– Tu? – gritou Margarida, apalermada, ante a perspectiva de renascimento carnal para o ser iluminado que se mantinha à nossa vista – porque te seria imposta semelhante pena?

 

Matilde responde longamente à filha, que, em breve, haveria de lhe estender maternos braços:

 

– Não te guardes em tamanha incompreensão da lei do trabalho – ajuntou a mensageira, sorrindo –; a reencarnação nem sempre é simples processo regenerativo, embora, na maioria das vezes, constitua recurso corretivo de espíritos renitentes na desordem e no crime. A Crosta da Terra é comparável a imenso mar onde a alma operosa encontra valores eternos aceitando os imperativos de serviço que a Bondade Divina nos concede. Além disso, todos temos doces laços do coração, que se demoram, por muitos séculos, retidos no fundo do abismo. É indispensável buscar as pérolas perdidas para que o paraíso não permaneça vazio de beleza ao nosso olhar. Depois de Deus, o amor é a força gloriosa que alimenta a vida e move os mundos.

 

Vale repetir, com ênfase:

 

“…TODOS TEMOS DOCE LAÇOS DO CORAÇÃO, QUE SE DEMORAM, POR MUITOS SÉCULOS, RETIDOS NO FUNDO DO ABISMO.”

 

E, conforme já tivemos oportunidade de dizer alhures, DEPOIS QUE JESUS CRISTO DELIBEROU DESCER A TERRA, TOMANDO CORPO CARNAL ENTRE OS HOMENS, QUE ESPÍRITO HÁ COM MORAL PARA ESQUIVAR-SE AO CUMPRIMENTO DESSE OU DAQUELE DEVER SOBRE A CROSTA?!…

 

A reação de Margarida é reação comum aos espíritos ainda dominados pelo egoísmo, que, priorizando a sua ascensão, não pensam naqueles que se demoram nas retaguardas da luta humana…

 

Com o propósito de não nos estendermos neste post, finalmente reflitamos nas esclarecedoras palavras da Mensageira:

 

– As leis fisiológicas, que dominam na Crosta, não fazem exceção. Impõem-se sobre os justos com o mesmo rigor dentro do qual funcionam para os pecadores. O anjo que desça ao fundo da mina de carvão continuará naturalmente a ser um anjo na vida íntima; entretanto, não escapará ao clima deprimente do subsolo.

 

INÁCIO FERREIRA

 

Uberaba – MG, 16 de setembro de 2019.

 

Fonte: http://inacioferreira-baccelli.blogspot.com/2019/09/lxv-reflexoes-sobre-o-livrolibertacao.html

Antonio Nazareno Favarin Dr. Inácio Ferreira
Blog do Dr. Inácio Ferreria mantido pelo medium Carlos A. Baccelli
Site Oficial: Mediunidade na Internet
---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.