Você alguma vez já parou para pensar que os dramas do passado nos fazem encarar hoje, situações que ainda não estamos seguramente prontos para tal desiderato? Não estamos prontos porque ainda não conquistamos a paz de consciência responsável pelo diagnóstico dessa quanto daquela enfermidade em nós.

A equipe de Calderaro em que André Luiz se encontrava, chegou a um lar onde o instrutor assistia a um jovem: “Dócil à nossa influência, encontrou na prece e na atividade espiritual o suprimento de energias de que necessitava”. Para muitos conflitos íntimos a prece é o suprimento essencial para que se ganhe a luta entre as sombras. Quantos dramas do passado ainda nos acicatam a alma ainda retalhada pelo sofrimento em que neles nos enquadramos? Pensarão muitos: Como conquistar o equilíbrio espiritual diante desses quadros angustiantes se não sabemos a sua origem e muito menos do método eficaz para que transborde a alma na taça de luz a que somos em essência?

Vejamos: A cada existência escrevemos no livro da vida os nossos mais sinceros cometimentos tanto felizes quanto infelizes. O meio em que vivemos se nos mostra muitas faces que irão se enquadrar no nosso modus vivendus de acordo com o que pensamos, falamos e fazemos. É questão puramente de sintonia. É só analisar as dificuldades nossas de cada dia para percebermos o que nos falta para nos tornarmos um pouco mais felizes.

A união de almas em um mesmo fanal tornará as trevas em luzes diamantinas onde o Amor na sua essência cristalina reinará incólume trazendo tranquilidade às almas reunidas em seu nome. Vejamos a conclusão do ilustre Instrutor acima citado: “Se o mal demanda tempo para fixar-se, é óbvio que a restauração do bem não pode ser instantânea”. Convenhamos que o mal quando ele se manifesta de chofre, ele já se encontrava embrenhando-se nos pensamentos e sentimentos daqueles que a ele se entregaram. E é fato que para a sua convalescença o tempo dará o tratamento convenientemente seguro e acertado. Nada acontece num simples estalar de dedos ou piscar de olhos.

Toda enfermidade é carência de energia suficiente para que aquele mal não faça tanto estrago no espírito e, assim, venha irradiar no corpo físico. A saúde é benção de Deus a todos os Seus filhos embora milhares deles não sabem ou se sabem não importam com as consequências advindas da invigilância dos seus atos.

Aos olhos do vulgo, nem todo mal é mal. Em certas situações para que não haja extremos de violência ou de dor, qualquer interferência das sombras no mundo íntimo humano é experiência a ser vivenciada com louvor desde que já tenha, o espírito, condições suficientes para verter sofrimento em esperança. Difícil aceitar tal destino, não é mesmo Leitor Amigo?

Ari Rangel Aécio Emmanuel César
Médium de psicografia desde 1990, tarefeiro espírita na cidade de Sete Lagoas/MG.
---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.