Como diagnosticar priapismo?

Classificada como isquêmica, não isquêmica ou recorrente/stuttering. O diagnóstico é baseado na história, achados clínicos e avaliação da gasometria do sangue cavernoso e/ou da ultrassonografia Doppler-duplex colorido. O tratamento do priapismo deve evoluir de forma gradual.

Quando é considerado priapismo?

De acordo com o urologista Roberto Vaz, da SBU (Sociedade Brasileira de Urologia), o priapismo é uma ereção constante por mais de três horas e ocorre independentemente do estímulo sexual, sendo conseiderada uma situação de emergência.

Como é a dor do priapismo?

Nos pacientes com priapismo isquêmico, o exame físico tipicamente revela rigidez completa com dor e edema de corpos cavernosos, poupando a glande e o corpo esponjoso. Em contraste, o priapismo não isquêmico não é doloroso e não incha, e o pênis permanece parcial ou completamente rígido.

Como reverter o priapismo?

Não existem protocolos padronizados de atendimento do Priapismo, mas, principalmente fora do ambiente hospitalar, algumas medidas podem ser consideradas. A aplicação da pressão perineal direta pode ajudar a diminuir o fluxo de sangue arterial para o pênis.

O que provoca priapismo?

Priapismo é a ocorrência de ereção involuntária e persistente, podendo acontecer espontaneamente ou devido ao uso de alguns antidepressivos e/ou fármacos para disfunção erétil.

Quanto tempo dura priapismo?

O priapismo é caracterizado por uma ereção prolongada e persistente que, em alguns casos, dura tempo superior a oito horas. Diferentemente das ereções resultantes de estímulos sexuais, ela apresenta-se frequentemente com dor.

Qual remédio causa priapismo?

Também pode ser causado pelo uso de alguns medicamentos como hidralazina, metoclopramida, omeprazol, hidroxizina, tamoxifeno, testosterona, hipotensores (prazosin), antidepressivos (Prozac), ou anticoagulantes (heparina), além de substâncias injetadas no pênis para provocar ereção artificial (papaverina, fentolamina, …

Quais os riscos do priapismo?

Priapismo isquêmico

A dor intensa decorrente de isquemia ocorre após 4 horas. Se prolongado por > 4 horas, o priapismo pode causar fibrose dos corpos cavernosos e subsequente disfunção erétil.

Qual o perigo do priapismo?

O priapismo é definido formalmente como ereção peniana dolorosa, com duração acima de 4 horas mesmo sem estímulo sexual e que persiste mesmo após o orgasmo. O perigo do priapismo reside no aprisionamento do sangue nos vasos penianos e corpos cavernosos.

Como evitar o priapismo?

A única solução é a prótese peniana. Como se previne? Como na maioria das situações o priapismo é idiopático, fica difícil a prevenção. Os pacientes que usam drogas intracavernosas para promover a ereção devem ser alertados para o risco de priapismo.

Quais remédios causam priapismo?

O priapismo pode ser causado por medicamentos, e os mais comuns que causam priapismo são as injeções intravenosas para o tratamento disfunção erétil (Papaverina, Alprostadil).

Quem trata priapismo?

A presença de uma ereção dolorosa para mais de quatro horas merece uma avaliação médica (Urologia) urgente.

By admin