Você alguma vez já parou para pensar que Céu e Inferno segundo o que é pregado em muitas Igrejas e Templos, nada mais é que sublocações da alma presa ou liberta das demandas comportamentais em que o meio influencia e muito o nosso Modus vivendus? De certo modo, o ser humano tem preguiça de raciocinar. Em umas das suas desculpas é que fica sem jeito de ir contra pensamentos muito acreditados por muitos. Ora. Se você tem preguiça em pensar, alguém pensará por você e assim, será qual “mula” carregando sentimentos que na maioria não são seus. E o final desta história não precisarei narrar aqui, não é mesmo?

Aprenderemos nessa semana com o instrutor Calderaro a respeito, quando a sua equipe visitava na Terra um jovem que tinha a enfermidade da epilepsia. Por Vontade Divina com certeza não foi, pois em nenhum momento Deus nos enviaria um mal que na sua essência jamais mereceríamos. Essas doenças em que o ser humano se debate, na sua grande maioria é culpa dele mesmo. Vale lembrar que desregramentos físicos não atacam tão somente o corpo orgânico, mas principalmente a estrutura espiritual.

Para elucidar melhor meus pensamentos vamos ver o que nos relata André Luiz no livro de sua autoria “No Mundo Maior” através da mediunidade do saudoso médium Chico Xavier: “Céu e Inferno em essência, são estados conscienciais; e, se alguém agiu contra a Lei, ver-se-á dentro de si mesmo em processo retificador, tanto tempo quanto seja necessário”. Não é preciso tecer aqui os desequilíbrios pelos quais os seres humanos se imantam prazerosamente. Para esses, todo vício sempre é bem-vindo. É um fato. Agora, virtudes que transformam o homem velho, no novo mais espiritualizado, está – por ora – fora de cogitação para uma grande maioria.

Mas voltando a falar dos vícios que nada mais são que desvios comportamentais atingindo em cheio as Leis Divinas as quais estamos todos inseridos, também é fato que hoje, erramos sabendo das suas consequências as quais, deles alimentamos sem nenhum obstáculo, mas muitos na sua grande parcela desconhecem o que se passará quando partirem dessa para melhor… ou será… para pior?

Todo processo alucinatório em que se mergulha a alma metamorfoseada temporariamente num corpo físico em qualquer mal – de pequena ou de grande monta – a Justiça Divina será indefectível quanto à sua correção. E essa não observância da corrigenda, leva muitos desavisados a cometerem outros delitos porque há carência de religiosidade nas igrejas, nos templos, nos lares e na própria centelha divina desorganizada quanto à sua real cristandade.

Difícil toda e qualquer correção que nos faça ser melhores amanhã. Temos em nosso favor a vigilância seguida da prece que praticadas a cada momento de nossas vidas, abrir-se-nos-á novos campos de compreensão abstendo-nos de todo mal visível e invisível. A cura pode vir até de fora, mas se não agirmos em nós mesmos com a mudança inevitável, de nada valerá a intercessão daqueles que nos querem nos ver bem. Ainda há tempo da transformação. Vamos, portanto mudar juntos, Leitor Amigo?

Ari Rangel Aécio Emmanuel César
Médium de psicografia desde 1990, tarefeiro espírita na cidade de Sete Lagoas/MG.

---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.