“A GROSSO MODO” ou “GROSSO MODO”?

Correto: Grosso modo.

Explicação: a expressão grosso modo tem diversos significados: “de modo grosseiro”, “aproximadamente”, “cerca de”, “resumidamente”, “sem entrar em pormenores” etc.

Ela deve ser usada sempre sem preposições, pois estas já estão, em si, subentendidas.

Exemplo: o que quero dizer, grosso modo, é que, nessa nova gestão, haverá mais chances de dar certo em nossos sistemas econômico, social, educacional, saúde, segurança, transporte e, também, quanto ao combate e controle da corrupção e sonegação.

✉ Fique Atualizado!



Rádio On-line Vivência Espírita

“INSISTO DIZER QUE” ou “INSISTO EM DIZER QUE”?

Correto: insisto em dizer que.

Explicação: o verbo “insistir” é transitivo indireto, e é regido pela preposição “em”.

Exemplo: insisto em dizer que nosso corpo é santuário do espírito encarnado e que este possui os órgãos materiais dos 5 sentidos: visão, audição, tato, paladar e olfato. Reinsisto, também, em dizer que o espírito encarnado, por esses órgãos, sabe discernir o que se passa ao seu redor e, por intermédio de seu corpo espiritual (períspirito), liga-se ao mundo invisível, agindo, dessa maneira, nos dois planos de suas manifestações.

______________________________

Para reflexão: assista, no youtube, à palestra: “Tolerância e o Evangelho” – de Haroldo Dutra Dias – Bacharel em Direito e Juiz em BH, autor de diversos livros espiritualistas e tradutor do Novo Testamento, diretamente do Hebraico. Palestrante renomado no Brasil e no exterior. Destaca-se pela sua simplicidade e eloquência na propagação do Evangelho de Jesus.

Magnífica palestra, como as demais, desse iluminado autor. Abre-nos um grande leque, despertando-nos a consciência sobre a causa de nossas inquietudes e ansiedades. Sabemos que estamos, mais do que nunca, mergulhados no dia a dia em aflições que partem de dentro de nós e, por ignorarmos a Lei de Causa e Efeito, culpamos, inadvertidamente, os demais como causadores de nossos problemas, de nossas aflições.

Esta palestra conduz-nos, outrossim, ao entendimento das nossas inquietudes, ansiedades; e, assim, sairemos desse sofrimento de intolerância, dando um grande passo à nossa melhoria íntima, e sermos felizes, pois somos resultado somático de várias existências e estamos aqui para resgatar valores pela reforma íntima.

Antonio Nazareno Favarin Antonio Nazareno Favarin
Professor de Português, Revisor de livros de São José dos Campos-SP.

---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.