PODCASTS

657 – Evolução dos Animais com Cláudio Yudi e Fábio Dionisi

Reproduzir

Olá querido ouvinte e leitor do nosso site, Paz e Alegria no seu coração. Neste programa recebemos os irmãos Cláudio Yudi e Fábio Dionisi, o primeiro médico veterinário de trabalhador do CE Bittencourt Sampaio de Uberaba-MG e o segundo presidente do Pronto Socorro Espiritual Recanto de Luz Irmã Scheilla da cidade de Ribeirão Pires-SP, falando sobre o tema: Evolução dos Animais.

Tema: Evolução dos Animais

PRECE DE ABERTURA: Fábio Dionisi

MÚSICAS:

  • Jorge Fernando – Encontro com Jesus;
  • Grupo Castela – Terapia do Abraco – Indiferenca; e
  • Grupo Castelã – Existe um Lugar.

MOMENTO GIGA VALE:

Momento Espírita – 02 – Deus na Natureza

PERGUNTA PARA SORTEIO:

Na sua opinião os animais têm alma?

✉ Fique Atualizado!



Rádio On-line Vivência Espírita

GANHADORES do sorteio de dois livros espíritas foram:
  • ☞ Eli da Silva (Livro Irmã Scheilla)
  • ☞ Mareci Rodrigues Gazzi

*Buscar por favor os livros na Livraria Casa do Caminho, NOVO ENDEREÇO – Rua Helena Mascarenhas, 115, Bairro Bela Vista, São José dos Campos-SP.

YOUTUBE 360º:

em breve

YOUTUBE LIVE:

PRECE DE ENCERRAMENTO:

Instrumentais Espírita com a prece final, por Cláudio Yudi.

FICHA TÉCNICA DO PROGRAMA VIVÊNCIA ESPÍRITA:

APRESENTAÇÃO: RUI BARBOSA, JORGE REIS E RODRIGO COSTA
CONVIDADO(A): CLAUDIO YUDI E FABIO DINONISI
TÉCNICA: INÁCIO
PARTICIPAÇÃO: SERGIO, CARLOS, CAMILA E GRAÇA

[amazon_link asins=’8582910177,8565518043,8579430429,8560628150,8573413336′ template=’ProductCarousel’ store=’rodrigopgc-20′ marketplace=’BR’ link_id=’5e00ed97-ffb2-11e7-9486-7d7988131fa9′]
---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

1 Comentário

clique aqui para deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Em relação à pergunta se os animais têm alma eu entendo que sim e acrescento – a senciência dos animais é realidade inconteste – senciência é um neologismo que significa ‘sentir, ter consciência, emoções e sentimentos’, peculiaridades antes atribuídas somente aos animais humanos. A partir de 2012, ganhou nova configuração e outro entendimento, através de proficientes estudos formada por neurocientistas canadenses e de outras nacionalidades, capitaneadas pelo dr. Philip Low, proeminente neurocientista, docente da Universidade Stanford. Depois de insistentes estudos, concluiu que a Ciência estava em erro – a Ciência entendia que somente nós, animais humanos, seríamos capazes de sentir, pensar, ter emoções, em virtude do córtex cerebral ser muito complexo e desenvolvido. Ele comprovou que não é o córtex cerebral o responsável por estas singularidades, mas, todo o corpo cerebral, concluindo que todos os mamíferos, aves, peixes e moluscos são sencientes. Ora, se ter alma humana significa ter tais peculiaridades, podemos, por analogia, afirmar convictamente que os animais não humanos também tenham. A neurociência “sem querer” deu subsídios para acreditarmos dessa forma. Ensejo deixar claro que a Ciência não se preocupa em estudar alma no ser humano e nos animais, todavia, sem querer, como citei, nos deu subsídio para afirmar que os animais têm alma. Um ponto polêmico – para o meu parco entendimento, não existe evolução animal e, muito menos, reino hominal. Por quê? Porque hominal é uma palavra que deriva do Latim “homine”, ou seja, aquilo que pertence ao homem, não cabendo, portanto, atribuirmos ou aceitarmos um outro reino. São três reinos – mineral, vegetal, animal. Nós, humanos, pertencemos ao reino animal e não há quaisquer dúvidas em relação a isso. A alma animal não transmigra até o reino animal humano – alma é individual e os animais já são desenvolvidos. Perdoem-me assim pensar! sou jornalista, pesquisador sobre a senciência e direitos dos animais, colunista do jornal Diário de Petrópolis, escrevendo sempre aos domingos sobre os animais, palestrante em escolas e universidades sobre o alusivo assunto. Gostaria, com toda humildade, que minhas palavras fossem levadas em consideração em relação aos seus estudos, afinal, numa sala de aula é natural que haja teses diferentes, como nos estudos de filosofia – tese, antítese e síntese, chegando à verdade.
    Muito grato e, uma vez mais, ratifico o meu pedido de desculpas em discordar de alguns ensinamentos espíritas alusivos aos animais e “a evolução” deles. Eles são superiores a muitos humanos no que diz respeito à paciência e ao amor incondicional – o animal ama um pobre, um rico em condições de igualdade e são mais fieis que muitos humanos. Para concluir: se houvesse a suposta evolução iríamos esbarrar no antropocentrismo, primo irmão do especismo, considerações totalmente superadas nos dias de hoje, entre ativistas e defensores dos animais, inclusive, espíritas. Felicidades!