ARTE DE ESCREVER BEM

“Tão Pouco” ou “Tampouco”? por Antonio Nazareno Favarin

Comentário: “tão pouco” e “tampouco” têm um som bem parecido; porém, seus sentidos são diferentes. O vocabulário de nossa Língua é muito rico; por isso, convém tirarmos, sempre, dúvidas sobre o uso correto de cada palavra ou expressão.

a) Tão pouco – significa “muito pouco”. É um advérbio de intensidade, reforçado pela partícula “tão”.

Exemplo: o etíope Dawitt Admasu venceu a 92ª corrida masculina de São Silvestre em tão pouco tempo: 44m17s, num percurso de 15 km.

b) Tampouco – esse advérbio pode ser substituído por “também não” ou “nem sequer”. É usado para reforçar orações ou frases negativas, citadas anteriormente; por isso, não podemos antepor-lhe palavras negativas como “não” ou “nem”, equívoco que muitos o utilizam.

Exemplo: não choveu durante o dia, tampouco apareceu o sol.

“Se Não” ou “Senão”?

Comentário: “se não” e “senão” são expressões homófonas e divergem na grafia e no significado, e seu uso pode gerar dúvidas em textos escritos. Vejamos seu emprego diferenciado com exemplos.

a) Se não – essa expressão, escrita separada, é usada toda vez que pudermos substituí-la por “quando não” ou “caso não”.

Exemplos: – a maioria da plateia, se não todos os participantes, aplaudiram intensamente, e por diversas vezes, o notável palestrante gaúcho Leandro Karnal, pela maravilhosa palestra sobre projetos de vida, aqui no Parque Vicentina Aranha, em São José dos Campos, no domingo passado, dia 22/04;

                       – se não trabalhar com esmero e dedicação, não logrará bom êxito na empresa.

✉ Fique Atualizado!



Rádio On-line Vivência Espírita

b) Senão – é usada quando indica “a não ser” ou “caso contrário”.

Exemplos: – ninguém, senão cada um de nós, pelo próprio esforço, é responsável pelo seu aprimoramento moral, ético e espiritual;

                        –  é melhor irmos cedo, senão perderemos nossa vez.

“Muito Obrigada” ou “Muito Obrigado”?

Comentário: esse vocábulo de agradecimento segue a regra da concordância nominal; isto é, deve concordar com o gênero da pessoa que agradece, ou seja, com o emissor: se for um homem, deve dizer “obrigado”; se for mulher, “obrigada”.

Exemplos: – muito obrigada, disse a jovem;

                 – muito obrigado, disse o jovem.

“A cada um será dado conforme suas obras, E NÃO SEGUNDO A SUA CRENÇA. A crença sem obras de benefício ao próximo ou renovação íntima espiritual é como uma árvore estéril: DESVALORIZA-SE porque não dá frutos” – Ramatis.

Antonio Nazareno FavarinAntonio Nazareno Favarin
Professor de Português, Revisor de livros de São José dos Campos-SP.

---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

Adicionar Comentário

clique aqui para deixar um comentário