PONTO DE VISTA

Simplicidade versus ostentação por André Luiz Villar

É sempre uma alegria renovada poder escrever a vocês, que vêm tendo paciência para comigo.

Estudaremos juntos um tema de real importância, pela qual poucos de nos atentamos, que é exatamente a necessidade de levarmos uma vida pautada na simplicidade.

Segundo os nossos dicionários, simplicidade significa: “estado, qualidade ou natureza do que é simples”. E noto com muita preocupação o nosso meio espírita cristão (e vejo por mim, por exemplo, que estou na atualidade na condição de orador), que com as palestras, vêm os aplausos. E vêm também os elogios. E vejo que isso é perigoso (lógico que nem todos sofrem deste mal). Porém, eu ainda sofro.

Quando conhecemos o Centro Espírita, aceitamos qualquer tipo de trabalho; o tempo vai passando e por vezes, vamos deixando de lado algumas atividades… é engraçado que vamos deixando as atividades de assistência aos necessitados, e vamos aumentando as atividades de palestras, cursos, seminários.

Quando vem este assunto em minha mente, eu sempre me lembro das recomendações de Emmanuel a Chico Xavier: trabalhar sempre nas periferias, hospitais, asilos.

Não podemos deixar de lado a oportunidade de sermos úteis e ao mesmo tempo de crescermos moralmente. Allan Kardec, o bom senso encarnado, nos deixa uma verdadeira e precisa pérola: “Fora da caridade não há salvação”. Em momento algum ele disse “Fora da palestra não há salvação” ou mesmo “Fora da mediunidade não há salvação“. O Codificador nos remete a caridade, que nada mais é que a somatórias das virtudes benevolência, bondade, bom coração, compaixão.

A oportunidade se faz para todos nós! Vamos ao trabalho, porque o trabalho é vasto, e são poucos os que querem trabalho de verdade…

André Luis Chiarini Villar

Adicionar Comentário

clique aqui para deixar um comentário