EM PROSA OU VERSO

Poesia Mediúnica por Thiago S. Baccelli

Buscando compartilhar amor
Transformo-me em trovador.
Dilatando o mecanismo da intuição,
Através da simbiose da comunicação.

E se o aparelho é meio deficiente,
Dou-me por satisfeito e contente
Da mensagem central não fugir.

Afinal, estamos distantes da perfeição,
Ainda engatinhando nesta dimensão
E sem nenhuma intenção de iludir.

Sem métrica na poesia
Sigo o encanto da magia
De escrever a cada dia,
Olvidando a nostalgia.

E se gosto de escutar os sons da natureza,
Apreciando em toda a criação a sua beleza.
E se costumo contemplar a imensidão
Sondando um pouco a cada coração…

Então paro e me concentro,
Deixando de lado o epicentro.
Agradecendo a Deus pelo dom,
Busco assim alcançar belo tom.

E neste meio de transporte
Alcanço certa velocidade.
Tentando validar o passaporte,
Que não permita contrariedade.

E lá vai o poeta ou o escritor
Usar a ideia de outro compositor.
E com ele compõem doce serenata,
Em parceria que enleva e arrebata.

E se Deus assim permite,
Peço que menos desafine.
Pois cada um tem o próprio limite
E amigos com os quais mais afine.

E se o sol novamente brilhar
Eu quero com a rima trabalhar.
E se a lua à noite novamente aparecer
Eu quero com ela aprender e escrever.

Thiago Silva Baccelli

Poesia Mediúnica

Adicionar Comentário

clique aqui para deixar um comentário