EM PROSA OU VERSO

O Sonhador por Thiago S. Baccelli

Sem fazer muita troça
Acomodei-me na carroça
E assim fui embora da roça.

No caminho para a cidade
Tudo parecia ser novidade,
Mas segui com tranqüilidade.

Levava apenas a fé no coração
E no bolso alguma economia.
Estava em busca da estação,
Que desemboca na alegria.

A seca havia matado a plantação
E também judiado da criação.
Por isso necessitei de lá sair,
Para em outro ponto prosseguir.

Foi quando no caminho
Algo diferente aconteceu.
Estava aparentemente sozinho,
Quando algo do nada apareceu.

Tenho medo de assombração,
Contudo permiti aproximar.
Deixei de lado a minha aflição
E com a entidade comecei a falar.

Era de uma luminosidade forte
E um brilho diferente no olhar.
Disse que em favor da boa sorte
Ela iria agora me acompanhar.

Agradeci muito sensibilizado
Pelas palavras de confiança.
Não mais me senti abandonado
E renovei a minha esperança.

Além disso, a ajuda que me foi enviada
Ajudou-me a escapar de grande cilada.
E de caipira me transformei em doutor,
Antes era aluno e agora sou professor.

Só duas coisas a entidade solicitou:
Que eu esquecesse tudo que sou
E compulsasse a lei de amor.

Então criei asas
E na minha nova casa
Hoje sou um sonhador.

Thiago Silva Baccelli

O Sonhador

Adicionar Comentário

clique aqui para deixar um comentário