LUZ INFINITA

Na Hora “H” pelo espírito de Silva Jardim por Aécio César

Queridos irmãos em Cristo.

Não poderia deixar passar em branco a essa mensagem que nos foi presenteada nos trabalhos desse abençoado sábado pela Espiritualidade Maior na Casa da Sopa Fraterna Irmão Crisóstomo.

Quanto ao: “Sede Perfeitos”, muito se tem o que falar, embora se tenha bem mais que trabalhar conosco.

Na lida como essa, em que se procura desenvolver as virtudes mantenedoras do bem ativo, sempre existe, como sempre existirão irmãos que estão à nossa volta querendo também absolver mais diretamente o Hausto Divino do Criador.

E se não darmos a eles uma oportunidade de se conhecer melhor, o que serão deles? Ou melhor: O que será de nós?

Em nossa vida corriqueira, quanto a nossa presença numa Casa Espírita e, preferencialmente em trabalhos assistenciais, em nenhum momento a alegria quanto a felicidade reina absoluta em grupos neles congregados.

Explico: Quando nos reunimos na presença daqueles irmãos perdidos por querelas religiosas ou mesmo acreditando fielmente na degradação do ser após o desenlace, temos que quebrar essa casca da indiferença à frente das nossas próprias necessidades.

Irmãos, muitos, são trazidos nesses ambientes de luz para reencontrar com a paz de espírito que não se encontrará no mundo turbulento e interesseiro lá de fora.

Vale, aqui, portanto, vigilância redobrada e constante com aqueles espíritos que a Espiritualidade nos confiou e que são, a primeira vista, difíceis de lidar.

Cabe aos servidores do Senhor, que adotaram os ensinamentos do Cristo de Deus trazendo no coração a bandeira luzidia ante as brumas da ignorância, perseverarem nessas diferenças, pois serão elas que irão burilar as nossas belas atitudes, por ora, nada cristãs.

Jesus, em momento algum se distanciou dos enfermos tanto do corpo quanto do espírito e, se somos seus discípulos e que escolhemos seguir os seus passos, porque abandoná-los ao léu das provações?

A luz tem que ir onde existem sombras, pois elas a todo instante fugirão dela continuadamente, mas um dia, certamente, lhes dobrarão – a ela – os joelhos.

O Mestre se apresentava sempre diante de irmãos desequilibrados levando sempre uma réstia que fosse de consolo e de paz.

Nesse interregno, nas terras de Jerusalém, onde o povo daquela época resolvia às questões do espírito a base de pedradas, hoje, nós deveremos, sim, abrir nossos braços e acolher essas almas endividadas no sentido de clarear suas consciências conturbadas ainda não bastante sazonadas, impregnadas pela nódoa de um Deus ainda vingativo e cruel.

Será, portanto, a diferença que aplacará com vitória garantida as indiferenças no meio dos homens.

No sentido de melhor elucidar o Evangelho desse sábado, é que presto o meu pensamento no expressar do Apóstolo Mateus: “Se somente amamos àqueles que nos amam, que recompensa teremos com isso?”

Para reforçar meu humilde intuito, a diferença aqui faz a questão na indiferença alheia, mas nunca a nossa.

Para aliviar de certo modo a nossa consciência, perante o trabalho intenso de evangelização de almas, agradeçamos muito a Deus por aproximar de nós estes irmãos enfermos do espírito, pois, como esclarece tão bem o Rabi da Galiléia e hoje já sabemos plenamente, de que os sãos, não necessitam de remédios.

Jesus sempre conosco.

Silva Jardim

(Mensagem recebida na Casa da Sopa Fraterna Irmão Crisóstomo no dia 11/03/2017 por Aécio E. César)

Ari RangelAécio Emmanuel César
Médium de psicografia desde 1990, tarefeiro espírita na cidade de Sete Lagoas/MG.
---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

Adicionar Comentário

clique aqui para deixar um comentário