LUZ INFINITA

Lógica e Bom-Senso por Aécio César

O que dizer da compreensão um tanto quanto fragmentada quando o assunto é Vida imortal do Espírito? Muito se tem falado em Espírito, Alma, Planos Espirituais, Umbral, Sombras, Trevas, Colônias, mas, vivendo na Terra onde nossos limites são tão limitados, como absorver os livros que nos comungam tais realidades se em nós ainda reside a dúvida a envolver nossos sentimentos os mais religiosos?

Ainda no prefácio do livro em estudos “No Mundo Maior”, Emmanuel nos coloca em meditação quanto ao assunto. Vejamos: “A lógica e o bom-senso nem sempre se compadecem com argumentos teológicos imutáveis”. Devemos considerar aqui que nem sempre a lógica nos escaninhos da razão tem a sua apresentação aceitável principalmente quando interpretamos mal a Misericórdia Divina. Temos limites sentimentais, sim, em que nem tanto o que falamos em público se nos é garantia para testificar a fé que ainda não possuímos.

Verdadeiramente, em tais situações, o homem probo de princípios cristãos procura exemplificar-se em algo que acredite ser o caminho certo para as suas inspirações religiosas. Nada tão valioso. Mas será até onde este mesmo homem pode estar certo ou não? No segundo caso, na negativa, como ele poderá chegar nessa conclusão se almeja para si os mesmos princípios esposados por grandes líderes religiosos?

Aí é que entra o bom-senso dito tão explicitamente pelo mentor acima por mim mencionado. Decerto que, se estamos numa embarcação que sabemos irá naufragar em mar revolto, de fato deveremos nos resguardar para que não nos afundemos com ela. Trocando em miúdos, a nossa consciência nos alerta dos perigos à nossa volta. Agora, a nossa fé será a boia salvadora que a pegaremos ou não segundo a nossa convicção de que mesmo sem ela iremos sair a salvos da tormenta dos instintos.

Ledo engano para muitos que assim pensam, pois que nem sempre razão e lógica pode ser entranhadamente aceitas sem que a consciência possa ser bem mais absorvida nos seus arcanos espirituais.

Por isso é bom para todos nós arguirmos nossas intenções mesmo aquelas mais louváveis para nós. O sentimento muitas vezes se extravia a trilhas onde encontraremos sempre as sombras dislexias a nos fazer tropeçar e cair. E nessas quedas, levantar e seguir em frente pode ser uma jornada sem êxito quando não estamos preparados para falarmos o que realmente deveríamos praticar.

Exemplo a ser seguido demanda conhecimento de causa, renúncia de sentimentos, coragem a ser publicamente assumida na hora do nosso testemunho. Será que estamos prontos para esse passo tão significante em nossas vidas, Leitor Amigo?

Ari RangelAécio Emmanuel César
Médium de psicografia desde 1990, tarefeiro espírita na cidade de Sete Lagoas/MG.

---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

Adicionar Comentário

clique aqui para deixar um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.