PONTO DE VISTA

Leis Divinas ou Naturais por André Luis Villar

Todos nós somos cientes que existem as leis que regem a nossa vida em nosso cotidiano e na sociedade de um modo geral. Na matéria de hoje, iremos tratar um pouco sobre as leis, mas não as legislações criadas pelos homens, e sim a criada por Deus, Nosso Pai.

Quando estudamos o livro mais importante da Doutrina Espírita Cristã (“O Livro dos Espíritos”), Allan Kardec questiona a Espiritualidade Superior sob a coordenação do Espírito da Verdade na questão de número 614, “O que se deve entender por lei natural?”. E a resposta dos Luminares é a seguinte:

A natural é a lei de Deus; é a única necessária à felicidade do homem; ela lhe indica o que ele deve fazer ou não fazer. E ele só se torna infeliz porque dela se afasta”.

Vamos estudar um pouco a pergunta de Kardec para depois analisar a resposta dada pela Espiritualidade. O que devemos entender por lei natural? Olha que interessante: o Codificador utiliza a palavra ENTENDER, que segundo nosso dicionário, significa “Maneira de pensar ou de ver”.

✉ Fique Atualizado!



Rádio On-line Vivência Espírita

Portanto, Kardec quer saber qual o entendimento que deveríamos ter a respeito das Leis Divinas. E vêm os Espíritos e respondem que devemos entender por Leis Divinas a legislação de Deus, na qual repousa a única e necessária orientação para encontrarmos a felicidade de nós os homens.

E complementa dizendo que quando fazemos algo contrário a essas Leis Superiores, estamos indo na contramão do bem e do certo.

Mas o sábio Allan Kardec questiona logo a seguir: “615. A lei de Deus é eterna?”. E a resposta dos Imortais:

É eterna e imutável, como o próprio Deus”.Outra pergunta que nos lança uma margem de estudo muito grande, pois Kardec utiliza a palavra ETERNA, que significa “não tem início nem fim”.

Portanto, o Codificador logo questiona: a lei de Deus não terá fim? E a Espiritualidade Superior responde dizendo que além de ser eterna (não ter fim), possui outro atributo: é imutável, que significa “que não é mutável, permanente”, que mostra que além de não ter fim e é permanente e duradoura.

A partir dessas duas perguntas de Allan Kardec e das duas respostas dadas pela Espiritualidade Superior, começamos a compreender um pouco a mais como funciona a Lei de Deus –a qual podemos chamar também de Leis Divinas e Naturais, mostrando quão Deus é Sábio e Previdente.

A última pergunta que iremos estudar nessa matéria é a questão de numero 618: “As leis divinas são as mesmas para todos os mundos?”, para a qual segue a resposta:

A razão nos diz que elas devem ser apropriadas à natureza de cada mundo e proporcionais ao grau de adiantamento dos seres que os habitam”.

Esse é outro questionamento que nos dá uma ótima oportunidade de estudo e reflexão, pois Kardec questiona se as Leis Divinas são iguais em todos os Mundos, a Espiritualidade responde que ela é condicionada a cada Planeta; daí se depreende que a Lei Divina é a mesma para todos, porém é exigido de cada um conforme seu grau de adiantamento moral, espiritual e intelectual.

Para completar essa resposta de Kardec, aponto uma frase de Nosso Senhor Jesus Cristo muito interessante quando Ele nos assevera: “Na Casa de Meu Pai há muitas moradas”. Bem diante do exposto, cada morada tem a sua constituição e suas particularidades.

André Luis Chiarini Villar

Adicionar Comentário

clique aqui para deixar um comentário