ARTE DE ESCREVER BEM

Importância do Uso da “Crase” por Antonio Nazareno Favarin

A palavra crase é de origem grega (krásis) e significa “fusão”, “mistura”. É, então, a união de duas vogais idênticas: a fusão da preposição “a” com o artigo feminino “a”. Portanto, sempre que houver a junção destes elementos, assinalamos a crase com o acento grave sobre o à.

Empregamos a crase quando:

  1. substituindo um vocábulo feminino por um masculino, apareça a combinação “ao” antes do nome masculino.

Exemplos: – Vou à feira; porque podemos dizer: vou ao mercado.

                  – Ela foi à praia; porque podemos dizer: ela foi ao campo.

  1. constatamos que existe, realmente, o artigo “a” antes da palavra feminina.

      Exemplos:  – fomos à cidade de São José dos Campos; porque podemos dizer: a cidade de São José dos Campos é a mais progressista do Vale do Paraíba.

✉ Fique Atualizado!



Rádio On-line Vivência Espírita

Entretanto, não usamos crase em frases tais como: vou a Recife, porque não podemos dizer: a Recife é denominada a “Veneza Brasileira”; mas dizemos: Recife (sem o “a” antes) é denominada a “Veneza Brasileira”.

  1. substituímos o “a” pelas expressões: “para a”, “com a”, “na” e “pela”.
    Exemplos:  – ela está às portas da aposentadoria; porque podemos expressar: ela está nas portas da aposentadoria.

                    – tudo era novidade às curiosidades dos meus netos; porque podemos dizer: tudo era novidade para as curiosidades dos meus netos.

                    – chegarei lá, amanhã, às 15:00 horas; porque se pode dizer: chegarei lá, amanhã, pelas 15:00 horas.

  1. particularizamos nomes próprios.

Exemplos:    – vamos sempre à Santa Catarina dos “barrigas verdes”.

                     – chegamos à Curitiba dos pinheirais.

(Continuaremos na semana vindoura)

Para reflexão, assista, no YOUTUBE, à palestra: “Rumo ao Mundo de Regeneração” – de Haroldo Dutra Dias – juiz de Direito do TJMG, escritor, conferencista e tradutor do Novo Testamento, diretamente do hebraico e grego.

Essa palestra, assim como as demais de Haroldo, além de atraente, é  estimulante, confortadora e consoladora diante dos problemas que nos afetam.

“Despenda” uma hora de sua semana para enriquecer-se e fortalecer-se espiritualmente ao mundo regenerativo. Esse tempo de sua duração ser-lhe-á imperceptível. Comece e verá. Vale a pena.

 

Antonio Nazareno FavarinAntonio Nazareno Favarin
Professor de Português, Revisor de livros de São José dos Campos-SP.
---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

2 Comentários

clique aqui para deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

  • Obrigado, Gilberto, pelos incentivos. É sempre bom ouvir isso de alguém que acompanha e comenta esses nossos temas sobre a Língua Portuguesa.
    Um abraço e fique com Deus.
    Antonio N. Favarin.