ARTE DE ESCREVER BEM

IMPORTÂNCIA DO USO DA “CRASE” (PARTE II) POR ANTONIO NAZARENO FAVARIN

Emprega-se corretamente a crase:

  1. Com os pronomes relativos “a qual” (a + qual = à qual) e “as quais” (as + quais = às quais).

Exemplos: – Brasília, a capital das mordomias, à qual se noticiou, centraliza o maior índice salarial “per capita” de todas as cidades brasileiras.

                – as leis brasileiras, às quais muito se discute, apesar de benevolentes, devem ser cumpridas por todos, sem diferenciação de classes sociais e políticas.

  1. Com os  pronomes  demonstrativos  “aquele(s)”, “aquela(s)” e “aquilo”,    fazendo-se a junção da preposição “a” com o “a” inicial destes demonstrativos.

✉ Fique Atualizado!



Rádio On-line Vivência Espírita

Exemplos: – em vez de dizer: todos os ouvintes teceram elogios “a aquele(s)” orador(es), dizemos: todos os ouvintes teceram elogios àquele(s) orador(es).

                – em vez de dizer: refiro-me “a aquela(s)” pessoa(s), dizemos: refiro-me àquela(s) pessoa(s).

                – em vez de dizer: ele não alegou “a aquilo” que deveria, dizemos: ele não alegou àquilo que deveria.

Nota: não estranhemos o uso da crase em “àquele” (pronome demonstrativo masculino) e em “àquilo” (pronome demonstrativo neutro), pois o que se considera aqui é a preposição “a” com o “a” inicial do pronome, conforme descrito acima.

Exemplos: – altos executivos prestaram homenagens àqueles (a + aqueles) dedicados engenheiros da EMBRAER.

                 – devemos, sempre, atentar àquilo (a + aquilo) que mais agrada ao nosso próximo.

  1. Com o pronome “a(s)”. Neste caso, a crase está relacionada a um substantivo feminino – subentendido -, que está oculto para evitar sua repetição.

Exemplo: em vez de dizer: comprei uma TV semelhante “à TV” que tinha adquirido antes, dizemos: comprei uma TV semelhante à que tinha adquirido antes.

(Continua na semana vindoura)

“O homem de bem é bom, humano e benevolente para com todos, sem distinção de raças, nem de crenças, porque em todos os homens vê irmãos seus”. ESE – Allan Kardec.

Antonio Nazareno FavarinAntonio Nazareno Favarin
Professor de Português, Revisor de livros de São José dos Campos-SP.

---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

Adicionar Comentário

clique aqui para deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.