LUZ INFINITA

Eleitos da Providência por Aécio César

Por que será que muitas pessoas pensam que, estando numa religião, já se tornaram eleitos de um Deus Misericordioso e Justo? O merecimento aqui é de essencial importância para todos nós porque será ele quem nos encaminhará a planos superiores ou para aqueles outros, onde as sombras da ignorância neles habitam.

Hoje, com a permissão dos Bons Espíritos, iniciaremos os comentários de mais um livro da lavra de Chico Xavier/André Luiz, intitulado “No Mundo Maior”, o quinto de uma série de dezesseis.

Nesse prefácio de Emmanuel, ele enfatiza bem algumas deficiências morais que desqualificam todo aquele que se acha eleito da Providência sem que para isso tenha feito algo que realmente o enquadre no rol de Espíritos portadores do dom de trabalhar sempre em prol dos menos favorecidos.

Vejamos algumas de suas citações: “A maioria constitui-se de menores de espírito, em luta pela outorga de títulos que lhes exaltem a personalidade”. Mais claro impossível, não é mesmo?

“A maioria constitui-se de menores de espírito, em luta pela outorga de títulos que lhes exaltem a personalidade”

Estamos na Terra, em um planeta ainda em grandes transformações fisiológicas, materiais, morais, espirituais, religiosos e familiares. E com todo esse arcabouço em jogo, ainda somos espíritos carentes de alguma virtude que venha enobrecer, um pouco, o nosso caráter. Já pensamos nisso?

É de se reconhecer que todos nós trazemos de existências passadas ou nos fazemos vítimas também na atual encarnação, de vícios que sempre estão a nos derrubar nos desfiladeiros da moral sem que nos atentemos mais para o tempo que ora perdemos com eles.

O pior é que estamos cientes de toda essa balbúrdia que atraímos para nós, mas mesmo assim para aparecer um tanto quanto diferente da sociedade e da família que nos cobram certo “valores”, deixamos levar impressionados por ilusões que somente atestam nossa quase total loucura.

Estando enraizados pelas vicissitudes que tanto alimentamos prazerosamente, será que somos realmente merecedores de lugares onde a razão e sentimento estão sempre juntos no coração de espíritos que já alcançaram um patamar de perfeição sentimental?

Vejamos outra citação: “… quase sempre se atribuem a indébita condição de “eleitos da Providência” e cristalizados em tal suposição, aplicam a justiça ao próximo sem se compenetrarem das próprias faltas…”.

“… quase sempre se atribuem a indébita condição de “eleitos da Providência” e cristalizados em tal suposição, aplicam a justiça ao próximo sem se compenetrarem das próprias faltas…”

Diante de tal realidade, como aguardar a presença em um mundo mais ditoso enquanto se julga insensato outros irmãos ao inferno escaldante? Muitos desses juízes da prepotência, com certeza já estão em pensamento nesses lugares em sombras, aguardando tão somente pela Grande Passagem para fazer parte, sim, das plêiades de espíritos que nesses lugares se encontram compenetrados ainda mais com a Justiça Divina. Estou certo, Leitor Amigo?

Ari RangelAécio Emmanuel César
Médium de psicografia desde 1990, tarefeiro espírita na cidade de Sete Lagoas/MG.

---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

Adicionar Comentário

clique aqui para deixar um comentário

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.