ARTE DE ESCREVER BEM

“DOIS GRAMAS” ou “DUAS GRAMAS”? por Antonio Nazareno Favarin

Dependendo da espécie de gramas a que estes dois numerais se referem, as duas expressões estão corretas.

A palavra grama, referindo-se a gramíneas cultivadas, é um substantivo feminino; portanto, neste caso, podemos dizer sem medo de errar: uma grama, duas gramas etc.

Entretanto, significando peso (medida de massa), o substantivo grama passa a ser do gênero masculino, e é neste sentido que a maioria das pessoas flexiona incorretamente o numeral em consonância com a palavra “grama”.

Vejamos: é comum vermos e ouvirmos pessoas chegando à padaria e pedirem à/ao atendente, por exemplo, “duzentas” gramas de muçarela ou “trezentas” gramas de presunto etc. em vez de se expressarem na forma correta que é: DUZENTOS gramas de muçarela ou TREZENTOS gramas de presunto etc.

Nestes exemplos, como em outros que mencionaremos, toda a atenção é válida quanto ao uso correto da CONCORDÂNCIA em expressões, como nos casos supracitados.

✉ Fique Atualizado!



Rádio On-line Vivência Espírita

CURIOSIDADE

Você sabia que o quinto idioma mais falado no mundo é a Língua Portuguesa?

Atualmente, 260 milhões, aproximadamente, expressam-se em português e o Brasil representa 80% deste total.

Os demais países que se expressam em Português são: Moçambique, Angola, Portugal, Guiné-Bissau, Timor Leste, Guiné-Equatorial, Macau, Cabo Verde e São Tomé e Príncipe.

“MESTRE NÃO É QUEM SEMPRE ENSINA, MAS QUEM DE REPENTE APRENDE” – João Guimarães Rosa (1908 – 1967).

Antonio Nazareno FavarinAntonio Nazareno Favarin
Professor de Português, Revisor de livros de São José dos Campos-SP.

2 Comentários

clique aqui para deixar um comentário

  • Perfeito! O centro espírita está de parabéns, por incentivar a sociedade a escrever e falar corretamente. Como jornalista, tenho observado que muitas pessoas pronunciam erradamente. O verbo haver, por exemplo, no sentido de existir, fica sempre na terceira pessoa do singular – houve fatos que contribuíram para o desaquecimento da economia. Infelizmente, há quem escreva erradamente “houveram” fatos (…).
    Sugiro que chamem a atenção para este exemplo, pois é comum falar-se erradamente, ainda mais quando o verbo a ser flexionado é “haver”.

  • Caro Gilberto Pinheiro. Obrigado pelo incentivo. Nossa proposta será, sim, apresentarmos toda semana a solução das principais dúvidas relacionadas à expressão correta de nosso idioma.
    Será um desafio a todos quantos desejarem, com pouco esforço, adquirir novos conhecimentos.
    Quanto ao emprego correto do verbo “haver”, no sentido de “existir”, apontado pelo consulente, coincidentemente, será tema de nosso estudo da próxima semana (12 a 18/06). Aguarde. Um abraço e fique com Deus. Antonio Nazareno Favarin.