LUZ INFINITA

Crianças Espirituais por Aécio César

Como comportariam essas crianças espirituais quando dos seus decessos? Vamos reconhecer que essas crianças aqui evidenciadas, são aquelas que ainda engatinham em sua religiosidade na busca, inconteste, da sua própria descoberta.

Zenóbia que se encontrava presente à conversação do Padre Hipólito e Cavalcante comentada na edição anterior, disse a André Luiz nesse sentido:

“Nossa antiga Igreja Romana, tão venerável pelas tradições de cultura e serviço ao progresso humano, é, de fato, na atualidade, grande especialista em crianças espirituais”.

Muito tenho que falar aqui, mas respeitando essa quanto aquela crença diferençada da Doutrina Espírita. Nesse ângulo tudo me conterá ao julgamento leviano, mas aproveitarei pelo meu aprendizado a olhos vistos, a outros parâmetros que aqui na Terra muitos ainda não enxergam.

O que valeria mais para a salvação das almas: Adorar a Deus acima de todas as coisas criadas pelo homem ou a adoração de deuses e santos proibidos nos Dez Mandamentos? Valeria hoje esses Mandamentos sagrados? Não se está tão longe ou parecido com os dogmas egípcios, só que na atualidade se faz adoração a homens que pela sua bondade com os irmãos de jornada tiveram coragem de levar sua devoção ao Criador ao extremo, digamos dessa forma.

Será que essa falta que nos faz em adorar Deus como se deve e aos nossos irmãos como a nós mesmos é que exista tanta violência, tanto ódio, tantas mortes tamanhas, tantos escândalos? Com certeza algo falta e não é oração, pois o que se reza no mundo, seria capaz de aplacar toda sombra de discórdia. Creio que não podemos ficar mais na teoria evangélica. Muito se fala nos ensinamentos de Jesus, mas pouco se faz para que a palavra se transforme em ação.

É de convir que todas as religiões sem exceção peca num princípio. Acha seus representantes que palestrar o Evangelho àqueles que necessitam dele para fortalecer a fé é a garantia para se conquistar um lugar de destaque no mundo dos Espíritos. Ledo engano. Muito há para se fazer para que a paz reine nos corações dos homens de boa vontade. Digo homens de boa vontade porque para se fazer o bem hoje necessita de coragem, de conhecimento, de destreza, de humildade, de sensibilidade com o próximo.

É aterrador ver as igrejas e templos lotados falando de Jesus e em suas portas achegarem irmãos em pobreza extrema serem enxotados por aqueles que, minutos antes falavam do amor aos semelhantes. Desculpe-me se estou intrometendo nas várias enchanças religiosas. A verdade sei que dói, mas deve ser dita para que alguém mais entendedor das palavras evangélicas abra os braços e aconchegue aqueles que tanto necessitam do nosso apreço, nosso carinho, nossa atenção, nossa palavra carregada de amor.

Se todos nós deixássemos os púlpitos e corrêssemos ao encontro daqueles com o fardo mais pesado que o nosso, com toda certeza estaríamos mais felizes e a nossa consciência iluminada pelo bem praticado. Se toda fé sem obra é morta o que estamos esperando mais para exaltar Deus como se deve, Leitor Amigo? Cair o maná dos céus sem esforço e sem suor da nossa parte?

Ari RangelAécio Emmanuel César
Médium de psicografia desde 1990, tarefeiro espírita na cidade de Sete Lagoas/MG.

Adicionar Comentário

clique aqui para deixar um comentário