LUZ INFINITA

Cooperativismo Divino (Parte 4 – Final)

Você alguma vez já parou para pensar que as primeiras manifestações de seres humanos ainda embrutecidos vieram dos macacos porque eles eram os protótipos que mais se aproximavam do homem atual, embora não houvesse propriamente uma “descida da árvore”, no início da evolução humana segundo Emmanuel no livro “A Caminho da Luz? E por que os macacos de hoje não se transformaram em homens? É porque hoje já existem os protótipos humanos capazes de serem reproduzidos na sua totalidade.

Essa metamorfose evolucionista inicia-se nos planetas espirituais invisíveis aos olhares humanos ganhando forma, cor e beleza à medida que a roda das reencarnações vai lhe moldando o caráter e a sua individualidade.

André Luiz nos informa sobre isso no seu livro “No Mundo Maior” na psicografia do médium Chico Xavier. Vejamos: “O símio, guinchando, organiza a faculdade da palavra”. Como podemos analisar, nos falta muito caminhar para compreender uma terça parte dessa Obra Magnífica, não é mesmo?

Quando Deus criou o homem – à Sua imagem e semelhança – quis Ele que assemelhássemos em toda a Sua Grandeza. Nascendo do mesmo Foco Criador, todos os Espíritos ganharam campo de experiências em vários corpos, em vários reinos conhecidos e desconhecidos por nós, para chegar, depois de milênios incontáveis, à uma forma magnífica tanto em corpo físico quanto em corpo espiritual.

Essas experiências ganham vetores de aprendizado tirando do suor do próprio rosto as benesses em que de reencarnação em reencarnação, ofereça a cada espírito, oportunidades de caminhar pelo Universo sempre para frente e para o alto.

Toda e qualquer individualidade se encarrega de ensaiar várias personalidades em que cada uma delas, em uma nova reencarnação projeta no espaço-tempo a sua cultura como também a sua ignorância. Tudo fica registrado no subconsciente como Caixa de Pandora onde essas personalidades se digladiam uma com a outra em existências em que o Espírito mais exala o perfume das virtudes ou a fedentina dos vícios. Se somos filhos do Criador é notório que todos nós, irmãos em consanguinidade espiritual, nos esforcemos para angariar conhecimento e sabedoria no objetivo único de compreender melhor Quem ou o Que nos fornece o Hausto Divino da Vida Eterna.

Assim, terminando essa série de Cooperativismo Divino com os Seus divinos filhos, está na Lei Maior a adoração suprema a Deus acima de tudo na Terra quanto nos planetas espirituais espalhados pelas galáxias, e ao próximo, nosso semelhante em espírito e verdade. Sem essas duas alavancas de progresso humano caracterizado pela fé mais que raciocinada não conseguiremos deslumbrar uma compreensão além daquela que nos limita a amar apenas o nosso próximo ligado pela consanguinidade familiar.

Mas, se somos uma Humanidade cósmica num todo, porque existem ainda diferenciações de vivência e de convivência entre os humanos? Por que essa barreira absurda, Leitor Amigo, que separa negros de brancos, ricos de pobres, se todos nós iremos para o mesmo buraco sepulcral levando conosco apenas virtudes e vícios por nós angariados, merecedores, portanto, do Céu ou do Inferno em que se encontrará a nossa consciência? Vale da nossa parte pensar a respeito, não?

Ari RangelAécio Emmanuel César
Médium de psicografia desde 1990, tarefeiro espírita na cidade de Sete Lagoas/MG.

---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

Adicionar Comentário

clique aqui para deixar um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.