BLOG DR INACIO FERREIRA

Como Você Interpreta?! – XI por Dr. Inácio Ferreira

Visto do Mundo Espiritual, como será o firmamento?! Você já se fez tal pergunta?! Os planetas e as estrelas materiais também possuem o seu duplo, ou seja, a sua contraparte etérica?! Haverá dia e noite no Mundo Espiritual?! Amanhecer, entardecer, crepúsculo e anoitecer?!

 

O que você, irmão, ou irmã, internauta nos responde?!…

 

No capítulo 23, de “Nosso Lar”, Lísias, ao chegar a casa e ainda encontrando André Luiz acordado, o convida:

 

– “Olá! Ainda não se recolheu? (…) Venha ao jardim, pois ainda não viu o luar destes sítios.”

 

Não será, portanto, lógico deduzir que se, do Outro Lado da Vida, existem noites enluaradas, devem, igualmente, existir, dias ensolarados?!

 

E o que você, ainda, teria a dizer a respeito do clima numa cidade espiritual, por exemplo, como “Nosso Lar”?! Sabemos que, sobre a Crosta, são quatro as estações do ano: Primavera, Verão, Outono e Inverno?! Algumas regiões do Mundo Espiritual, qual acontece na Terra, serão mais quentes, ou frias, que outras?!

✉ Fique Atualizado!



Rádio On-line Vivência Espírita

Parágrafos adiante, do mesmo capítulo 23, há um registro interessantíssimo. Lísias diz a André Luiz que, em determinada época, depois de mais de dois séculos de sua fundação, o Governador de “Nosso Lar” proibira 0 intercâmbio generalizado dos desencarnados com os encarnados! Opa! Aqui há um mundo de conjeturas a serem feitas… Como é?! O Governador proibira, a partir da iniciativa dos desencarnados, o seu contato com os encarnados?! Não nos parece algo semelhante feito por Moisés no Deuteronômio, capítulo 18, versículos 9 a 14?! A cidade de “Nosso Lar” foi fundada no século XVI, e a referida proibição, ao que se calcula, ocorreu no século XVIII… Curioso! Em meados do século XIX, a Terra, em vez de ser invadida pelos marcianos, é “invadida” pelos supostos mortos, em um novo Pentecostes, culminando com a Codificação Espírita.

 

Atentemos para o seguinte trecho do proveitoso diálogo de Lísias com André Luiz:

 

“Amparado pela União Divina, o Governador proibiu o intercâmbio generalizado. Houve luta. (destacamos) Mas o ministro generoso que incrementou a medida, valeu-se do ensinamento de Jesus que manda os mortos enterrarem seus mortos e a inovação se tornou vitoriosa em pouco tempo.”

 

“Nosso Lar” era uma cidade administrada por seis Ministérios, com doze Ministros em cada um deles. Ao que nos parece, apenas o Ministério da União Divina ficara, inicialmente, ao lado do Governador, que, para fazer cumprir o decreto, teve que sustentar muitas lutas – protestos, passeatas, greves, etc. Tudo muito semelhante ao que vem acontecendo na Terra, principalmente no Brasil, não acham?! Vejamos a responsabilidade do Governador que foi contra a maioria, fazendo prevalecer o bom senso. Discutam aqui os que defendem que o livre arbítrio do homem deve ser absoluto, e não relativo. De minha parte, sou contra o livre arbítrio humano absoluto – a gente não saberia o que fazer com tanta liberdade e complicaria horrores o próprio destino.

 

Não poderíamos deixar de registrar ainda que, no período da Idade Média, pelo contato estreito dos desencarnados com os homens, milhares de medianeiros foram parar na fogueira! A chamada “caça as bruxas”, atingiu o seu apogeu, justamente entre os séculos XVI e XVIII! Não é interessante tal informação?! O Governador de “Nosso Lar” deve ter evitado que um número muito maior de médiuns fosse parar na fogueira, na forca ou afogados! Segundo estimativas, mais de trinta mil médiuns (alguns falam em cinquenta mil!) acusados de feitiçaria – mulheres, em maior número – foram queimados, às vésperas da Idade das Luzes!…

 

Uberaba – MG, 5 de junho de 2017.

 

Fonte: http://inacioferreira-baccelli.blogspot.ae/2017/06/como-voceinterpreta-xi-visto-do-mundo.html

Antonio Nazareno FavarinDr. Inácio Ferreira
Blog do Dr. Inácio Ferreria mantido pelo medium Carlos A. Baccelli
Site Oficial: Mediunidade na Internet

Adicionar Comentário

clique aqui para deixar um comentário