Você alguma vez já parou para pensar o que leva o espírito a praticar tanta violência para consigo e para com o semelhante, ignorando que a morte não irá passar-lhe a mão na consciência isentando-o dos atos escabrosos que alimentou? Muitos até hoje não pensam dessa forma. E o quanto irão se espantar quando a Verdade bater-lhe à porta do coração desguarnecido da boa experiência religiosa.

Vejamos o que André Luiz nos diz a respeito em narrativa do seu livro “No Mundo Maior” pela psicografia do saudoso médium Chico Xavier: “A cegueira do espírito é fruto da espessa ignorância em manifestações primárias ou do obnubilamento da razão nos estados de aviltamento do ser”. O homem ainda procura viver de estágios já cumpridos. A primitividade do ser nos tempos atuais é de maior exacerbação onde a razão ainda não burilada, aquilata os instintos bestiais ainda remanescentes.

Hoje falta de princípios religiosos não coaduna com carência de lições que exoneram o homem da sua ignorância. Temos hoje, em pleno século XXI conotações bíblicas que nos fazem repensar acerca do que pensávamos tempos atrás sobre a Vida além-túmulo e atualmente temos um leque de opções, aquelas mais transcendentes, que nos tiram do marasmo do ter, com o devido merecimento de ser bem melhores.

O que seria para você a loucura em todos os estágios de desequilíbrios psíquicos onde o corpo, passivo, recebe toda carga negativa de pensamentos os mais tenebrosos? Para esse contexto, vejamos o que o Instrutor Calderaro responde a André Luiz: “Para isto, convém estudarmos mais detidamente o cérebro do homem encarnado e do desencarnado em posição desarmônica por situarmos aí o órgão de manifestação da atividade espiritual”.

Devemos abrir um espaço aqui quanto ao que disse o instrutor acima: “…convém estudarmos mais detidamente…”. Tem muitos confrades que acreditam que todos os espíritos, estando destituídos do corpo físico já alcançaram a sabedoria celestial. De que tudo sabem e mais nada teriam a estudar. Tornar-se-iam, pois, deuses na sua mais simples expressão. Quanto a esse pensamento, quanta ignorância, não acham?

A escala evolutiva é cheia de degraus infinitos por onde o Espírito sempre estará carente de um determinado assunto. Ele nunca alcançará a Sabedoria Divina, pois essa somente a Deus pertence. Mas dignamo-nos de atender às nossas precárias linhas de raciocínio graças a livros quanto esses da lavra de André Luiz os quais estamos aqui, humildemente, analisando-os nas suas entrelinhas.

Devemos, de pronto, atinarmos quanto à análise do cérebro humano encarnado e desencarnado pois é nele que se encontra a sede do Espírito – a alma – em toda a sua essência. É por isso, ainda, que os cientistas não a descobriram porque ela está além da estrutura orgânica. E não achando-a segundo seus parcos conhecimentos intelectuais terrenos esbarram nas muralhas do materialismo e do ceticismo. Mais uma vez, quanta ignorância, não acha Leitor Amigo?

Ari Rangel Aécio Emmanuel César
Médium de psicografia desde 1990, tarefeiro espírita na cidade de Sete Lagoas/MG.
---------- Publicidade ---------- ---------- Publicidade ----------

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.