VISÃO ESPÍRITA

A Religião é um rotulo ou uma conduta?

http://www.odespertardaconsciencia.com.br/

A Religião é um rotulo ou uma conduta?

Sebastião Camargo- Escritor e Conferencista Espírita
Os benefícios da Filosofia Espírita em nossas vidas.


Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=F10FTpgzPcI

1 Comentário

clique aqui para deixar um comentário

  • Certamente, deveria ser conduta e quando se afirma “conduta” deveria haver coerência em relação aos ensinamentos éticos e morais. Infelizmente, não é bem assim! Não digo especificamente em relação ao Espiritismo mas sobre as demais religiões. O Brasil é um país eminentemente religioso, todavia, não se pratica o que é ensinado nos templos religiosos. Religião exige mudança profunda de conduta e muitos buscam as religiões para satisfazer seus desejos materiais, individualismo sobrepujando a verdade crística. A Umbanda, por exemplo, onde deveria haver “educação espiritual via palestras”, não se vê tal exemplo com frequência. Os adeptos dessa religião buscam consultar-se com entidades espirituais para resolver problemas particulares, além de imensa preocupação com rituais, o que não soma absolutamente nada em relação ao progresso espiritual. Outras religiões também têm seus vícios, afinal, o ser humano ainda é muito atrasado. Há dias fiquei muito decepcionado com o jornal Correio Espírita que estampou em suas páginas o seguinte: as pessoas acometidas ou sofridas por causa do câncer são devedoras de vidas passadas ou dessas. Isso é impensável para mim, não tendo vínculo com a inteligência. Eu sou portador de câncer e estou me cuidando com muita determinação, graças a Deus. O que fiz em vida passada para merecer tal sofrimento? Além do mais, a falta de respeito e de ética do articulista da matéria é notória, estigmatizando as pessoas doentes ou vítimas do câncer. Em outras palavras ou subliminarmente quis dizer: ah, o indivíduo tem câncer porque “merece”, é devedor. Honestamente, isso me magoou profundamente. Religião é para confortar espiritualmente os que sofrem, pregar o amor crístico, dar esperanças de dias melhores aos fieis e não jogar lama em quem se esforça para curar-se deste mal. Outro assunto que não aceito – os animais serem considerados inferiores e a alma transmigrar nos reinos mineral, vegetal, animal e chegar ao reino “hominal”. Com todo respeito, não existe o reino hominal. Hominal é um adjetivo que deriva do Latim “homine”, aquilo que pertence ao homem e isso não é suficiente para criar um quarto reino. Somos nós do reino animal. Isso é indiscutível! Em relação aos animais eles já são desenvolvidos naturalmente. Há animais mais fieis aos humanos do que humanos aos seus próximos. Os animais não são responsáveis pelas guerras, desentendimentos internacionais, pela corrupção, etc. Portanto, a alma transmigrar e elevar-se no reino “hominal” (não existe) seria antropocentrismo e este conceito ontológico e cartesiano está superado há muito tempo. É a minha opinião e não ensejo alongar-me, para não ficar cansativo.
    Parabéns, pela iniciativa em convidar espíritas à isenta reflexão. Gostei muito da iniciativa! Meus sinceros parabéns!